BLOG CASUAL

Pavilhão do Brasil na Expo Milão: Studio Arthur Casas faz parceria com a Poliform.

26 OUT 2015 · arquitetura NENHUM COMENTÁRIO · COMENTE!

Pavilhão do Brasil na Expo Milão: Studio Arthur Casas faz parceria com a Poliform.

A história das exposições universais teve início em 1851, com a primeira edição foi realizada no Palácio de Cristal, em Londres. Atualmente, ela é realizada a cada cinco anos em locais diferentes, e este ano está na cidade de Milão.

Para os nossos parceiros de Stúdio Arthur Casas, o desafio de criar o Pavilhão Brasil para a Expo Milão 2015 foi combinar arquitetura e cenografia que proporcionasse uma experiência que integra momentos lúdicos, informações de ponta, interação e aprendizado. A ideia da rede flexível, fluída e descentralizada permeia todos os aspectos do edifício e representa a pluralidade do Brasil. Em meio a construções de mais de 130 países, o pavilhão propõe um respiro, a intenção de uma praça que convida ao encontro, à diversão e à descoberta.

O pavilhão do Brasil conta com espaços diversificados, que inclui exposições, auditório, restaurante, e espaços de contemplação.

No espaço criado pelo Studio Arthur Casas o mobiliário foi desenvolvido em parceria com a marca italiana Poliform, uma das marcas representadas com exclusividade no Brasil pela Casual Móveis.

O produto desenvolvido, como sempre, tem acabamento impecável. As peças são: A Cadeira Lampião e Maria Bonita, inspiradas no Rei do Cangaço. Elas foram produzidas em materiais naturais como a madeira, o couro e a palhinha. Além disso, a coleção conta com uma mesa de jantar em Corian®, projetada de forma arredondada, com chanfros para que possam juntar e dar mais mobilidade ao ambiente com efeito em diagonal, dando bossa ao restaurante do pavilhão. Os móveis, assim como o Pavilhão Brasil, é um grande sucesso!

 

						Illuminate\Database\Eloquent\Collection Object
(
    [items:protected] => Array
        (
        )

)
1					

COMENTÁRIOS [0]

Os comentários são moderados pela equipe da Casual que pode optar por não exibí-los se assim achar conveniente, não cabendo ao autor do comentário qualquer alegação.